Para ler em 2020

pile-of-books-2765617

Com a proximidade do fim de 2019, já é tempo de planejar o próximo ano! 2020 bate à porta com um sem-número de possibilidades e de novos projetos. Alguns desses planos costumam incluir não apenas metas profissionais e expectativas afetivas, como também aspirações culturais. Nas famosas resoluções de ano novo, encontramos, muitas vezes, o item “ler mais”. Para ajudar nossos leitores a tirar do papel esse desejo, No Cenáculo preparou uma lista de livros para ler em 2020! Assim, escolhemos 12 obras literárias, dos mais diferentes gêneros, épocas e estilos, para guiar cada um dos meses do próximo ciclo. Nosso objetivo é, principalmente, suscitar o interesse pela leitura, pela variedade de pontos de vista e pelas reflexões sobre as funções da arte.

A seleção se pautou, sobretudo, por três critérios: i) as efemérides literárias do próximo ano, com a comemoração dos centenários de nascimento de autores e da publicação de obras; ii) a atualidade das produções e da carreira dos escritores, capazes de ainda suscitar debates na imprensa, atrair a atenção das editoras e de provocar até mesmo polêmicas; e iii) o reconhecimento da qualidade artística dos livros, muitos deles consagrados por grandes premiações internacionais. Com essas sugestões, temos a promessa de um 2020 repleto de instigantes surpresas e de discussões em torno da complexidade da literatura. Boa leitura! Bom 2020!

Continuar lendo

7 filmes imperdíveis no Festival do Rio

Com atraso, programação reduzida, financiamento coletivo, mas muito esforço para realizar a edição de 2019, o Festival do Rio acontece até o dia 19 de dezembro. Como em todo festival, é difícil escolher quais filmes investir diante de tantas possibilidades. Para facilitar um pouco e também para dar um panorama sobre a programação da 21ª primeira edição do evento, que conta com filmes de diretores como Terrence Mallick, Clint EastwoodXavier Dolan e Marielle Heller, selecionamos algumas de nossas apostas! 

Continuar lendo

O que esperar da terceira temporada de The Crown?

thecrown

The Crown é uma das principais apostas da Netflix. Com suas duas primeiras temporadas, em 2016 e 2017, a série não apenas conseguiu atingir um vasto público, como também alcançou diversos prêmios, entre eles o Globo de Ouro. O reconhecimento é fruto tanto do trabalho de seus excelentes atores quanto de um grande investimento financeiro, a ponto de ter sido considerada a produção mais cara do streaming. Agora, em 2019, recebemos a sua terceira temporada, que traz um importante conjunto de mudanças no elenco. Para retratar o reinado de Elizabeth II entre os anos de 1964 e 1977, Olivia Colman, vencedora do Oscar por A Favorita (2018), substitui Claire Foy no papel da rainha. Após assistir aos seus dez episódios, No Cenáculo apresenta os pontos positivos e os negativos da nova temporada de The Crown.

Continuar lendo

9 filmes para entender a obra de Martin Scorsese

Martin-Scorsese

Iniciada na década de 1960, a extensa, complexa e admirável carreira do norte-americano Martin Scorsese é de inegável importância para a história do cinema. Diretor, produtor, roteirista e ator, Scorsese sempre se mostrou um profissional declaradamente apaixonado pela sétima arte e pelo ofício de contar histórias. Nascido e criado no Queens, mais precisamente em Little Italy, em Nova York, é descendente de Italianos e foi seminarista. Ainda muito jovem, decidiu dedicar-se ao cinema. Em suas produções, o artista deixa transparecer, enquanto apresenta uma boa narrativa — seja ela de ficção, baseada em fatos reais ou biográfica —, a busca incessante por refletir sobre suas origens, gostos, crenças, bem como sua obsessão pelo fazer cinematográfico.

Transitando entre temas, gêneros e linguagens que atendem às necessidades de suas histórias, o currículo de Martin Scorsese é diverso e deixa claro o eterno instinto experimental de um diretor já experiente. No próximo dia 27 de novembro, o filme O Irlandês (2019), seu mais novo longa em parceria com a Netflix, finalmente chegará à plataforma da gigante do streaming. O filme, que ao longo das últimas semanas vem sendo exibido em pouquíssimas salas de cinema ao redor do mundo, foi bem recebido pela crítica, trazendo o nome e a trajetória do premiado cineasta de volta às manchetes. Para celebrar, No Cenáculo reuniu nove filmes que exemplificam os diferentes caminhos artísticos tomados pela obra do diretor ao longo de sua carreira.   Continuar lendo

“Essa gente”: o novo e decepcionante romance de Chico Buarque

white-sand-beach-925030

Não restam dúvidas de que Chico Buarque é um patrimônio da cultura brasileira. Seus trabalhos dão provas de um artista multifacetado, politicamente engajado, influente no meio intelectual e relevante em diferentes áreas, da música à literatura. Mais famoso por suas canções, o carioca, de 75 anos, também alcançou prestígio por sua produção romanesca, como comprovam os seus três Prêmios Jabutis (1992, 2004 e 2010) e, mais recentemente, o Prêmio Camões (2019), que, aliás, foi motivo de mais uma polêmica com o atual presidente. Perante um currículo com tal dimensão, não é fácil avaliar uma obra do autor sem se deixar contaminar pela lembrança de seus feitos anteriores. Na literatura, algumas assinaturas parecem garantir, previamente, a qualidade dos livros. Assim, não é de se surpreender que, recém-lançado pela Companhia das Letras, Essa gente já esteja na lista dos mais vendidos e tenha recebido uma série de avaliações positivas na imprensa. Apesar dessa boa divulgação e da carreira do escritor, o novo romance é decepcionante.

Continuar lendo

7 livros para entender a República no Brasil

130 anos após a Proclamação da República, há uma gama de estudos que cobrem as transformações ocorridas naquela época e as várias mudanças que têm acontecido ao longo do tempo. Para possibilitar que nossos leitores conheçam o que há de mais importante na historiografia sobre o tema, o No Cenáculo selecionou uma lista de clássicos que dão um bom panorama do Brasil desde aquele já longínquo 15 de novembro de 1889.

Procuramos dar uma abrangência temática à lista, além de misturar obras mais antigas com as mais recentes. Nosso foco é a Primeira República, ou seja, o período que vai da Proclamação até o início do Governo Vargas (1889-1930). É importante dizer que duas obras fundamentais ficaram de fora por terem sido analisadas recentemente aqui: A Invenção do Trabalhismo e Coronelismo, Enxada e Voto. Dispensável tentar transmitir a qualidade e a relevância de ambas, sendo sempre recomendáveis. Mas para tentar trazer contribuições diferentes, fizemos a pequena seleção abaixo.

Continuar lendo

Tina Turner 80 anos: relembre o show histórico da diva no Maracanã

tina

Afastada dos palcos há mais de dez anos, por vontade própria, Tina Turner completa oito décadas de vida no mês de novembro. “Rainha do rock”, epíteto mais que merecido para a diva americana, ela acumulou ao longo da carreira 12 prêmios Grammy e uma série de hits até hoje incessantemente tocados nas rádios. Inspirando várias cantoras que a sucederam, Tina Turner marcou uma geração com talento, voz e muito carisma.

O No Cenáculo presta sua homenagem à artista nesse mês tão especial, lembrando um show que é um marco tanto para Tina Turner quanto para o Brasil. Trata-se de um concerto que, de tão grandioso, entrou no Guiness Book à época. No dia 16 de janeiro de 1988, a cantora interpretou seus sucessos para mais de 180 mil pessoas, maior público pagante para uma artista solo feminina. Além disso, bateu recorde de espectadores naquele que foi um dia o maior estádio do mundo, sendo superado apenas pelo A-Ha em 1991, durante o Rock in Rio. Relembrar esse show é um presente não só para seus fãs, mas como para toda a música.

Continuar lendo